Células tronco para controle de peso (epigenética)

ciencia e emagrecimentoEnquanto a luta pela perda de peso continua sendo rotina para a maioria das pessoas, novas tecnologias têm surgido para tentar facilitar esse processo. O avanço de estudos epigênicos, CRISPR, entre outros, estão abrindo novos horizontes e criando esperanças de que talvez seja possível não mais recorrer a dietas aos suplementos emagrecedores eficazes recomendados pelo blog beleza saúde e corpo como o super slim x.

Uma das modas passageiras mais controversas sobre emagrecimento foi a chamada dieta hCG (gonadotropina coriônica humana). É uma dieta que já perdeu um pouco da sua popularidade, mas agora voltou com um conceito científico: utilização de células estaminais. O plano original da dieta do hCG envolve geralmente injeções combinadas com limitação calórica severa (ingestão limitada de 500 calorias pelo dia, aumentando progressivamente para 1500 calorias com o passar do tempo. De acordo com os modelos apresentados, também é possível suplementar com gotas, mas alguns estudos mostram que a concentração não é adequada.

Em todo caso, a gonadotropina coriônica tem como função principal diminuir a sensação de fome. A falta de prova científica que apeie o uso do hCG como dieta eficaz sempre foi uma interrogação no meio acadêmico. Mas atualmente, os vendedores de dietas têm um novo argumento que convence: tecnologia celular epigenômica. O conceito chave das células estaminais tiveram início nos materiais do mercado da perda de peso juntamente com a rebuscada nomenclatura de “célula estaminal”.

Para colaborar com a tentativa de uso de células tronco para emagrecer, é importante saber que alguns tipos de células no corpo têm uma vida útil limitada e morrem depois de dividir o número de vezes necessário, apesar de que uma célula tronco pode – em teoria – se reproduzir para sempre. A célula tronco é, portanto, imortal (em comparação com mecanismos biológicos celulares). Mas essas células podem renunciar à imortalidade e se transformar em uma célula de sangue comum, um glóbulo branco (leucócito), uma célula de sangue vermelha (um eritrócito), ou ainda uma grande célula (megacariócito) em que fragmentos nas plaquetas necessárias para o sangue para coagular.

Com esse tipo de aplicação, o próprio corpo da pessoa reage contra o acúmulo de gordura e consegue iniciar o processo que suplementos termogênicos desencadeiam no corpo: a aceleração da queima de gordura.

Se esse tipo de tratamento irá ter bons resultados ainda não sabemos, mas que a proposta parece promissora, não há como negar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *